Logísticacarga fracionada e carga completa

O mercado de logística é repleto de termos técnicos, alguns dos quais ouvimos durante anos sem saber profundamente seu significado. Quem necessita dos serviços das transportadoras para despachar as mercadorias, certamente já deve ter ouvido falar em carga fracionada e carga completa. Mas qual a diferença entre esses dois serviços logísticos? O que é importante deixar claro, de início, é que o tipo de produto e o modelo de negócio são os fatores que definirão qual será o tipo de carga a ser utilizada; ou seja, a escolha do modelo de carga (fechada ou parcelada) é uma consequência do negócio.

Vamos saber mais sobre as características de cada uma dessas cargas e entender de qual delas seu negócio deve fazer uso em sua gestão de transportadoras?

O que é carga completa?

Também conhecia como “carga lotação” ou “carga fechada”, trata-se da modalidade em que o caminhão é utilizado exclusivamente por um embarcador, em função de uma das seguintes razões:

  • a quantidade de mercadoria é suficiente para lotar o modal de transporte escolhido;
  • a natureza da mercadoria justifica que ela vá sozinha no veículo, ainda que não o complete;
  • é necessária a entrega imediata (na carga fracionada o caminhão vai entregar diversas mercadorias de clientes distintos e em diversos locais; tratando-se de carga completa, a remessa vai direto do remetente ao destino);
  • o manuseio da carga em um entreposto não se justifica — agregar a carga àquela de outros embarcadores trará mais custos na descarga, organização e embarque do que economias no frete.

As diferenças de custo entre carga fracionada e completa variam muito dependendo da natureza do produto a ser transportado. Para muitas empresas (principalmente no varejo eletrônico), a carga fracionada é, aliás, a única forma de fazer a entrega de suas mercadorias. Vamos entender melhor do que consiste esse tipo de carga.

O que é carga fracionada?

É o envio de pequenas quantidades de mercadorias, que não ocupam a capacidade total de espaço no veículo selecionado para o transporte. Com este modelo é possível agrupar diversos tipos de mercadoria em um único meio de transporte.

Por falta de tecnologia, o mercado consumidor (B2B ou B2C) só era atingido com uma longa cadeia de distribuição. Indústrias entregavam para distribuidores, que entregavam para atacadistas, que entregavam para varejistas que, por sua vez, vendiam para consumidores ou negócios que utilizavam as mercadorias. O alcance do consumo era muito mais localizado.

A tecnologia permitiu que alguns desses elos fossem comprimidos e a entrega direta se tornasse muito mais comum. Assim, o que antes só era feito por empresas de “venda por catálogo”, passou a ser mais comum. Com poucas buscas, por exemplo, um negócio em MG pode comparar fornecedores no PR, RJ e BA e definir a melhor escolha para a empresa!

Com essa nova perspectiva, nas últimas décadas, o trânsito de pequenas cargas aumentou consideravelmente; uma saída para atender a essa nova necessidade do mercado foi reunir diversas cargas de remetentes distintos e consolidá-las. Didaticamente falando, carga fracionada é, portanto, quando o embarcador paga apenas pelo espaço no caminhão utilizado na remessa e não pelo frete total, o que torna seus custos com transporte muito mais uniformes e previsíveis.

O aumento da demanda pela carga fracionada, por outro lado, pode ser bastante interessante para as empresas de logística, uma vez que, organizando as rotas e compartilhando um mesmo veículo com cargas de diversos clientes, é possível minimizar problemas de subocupação, mais comuns quando apenas a carga completa era opção.

Vamos sistematizar as características da carga fracionada para facilitar a compreensão:

  • sistema de remessa em pequenas quantidades de mercadorias, as quais não completariam um veículo se fossem enviadas sozinhas;
  • o surgimento do varejo online diversificou o raio de localizações geográficas das entregas, o que facilitou a organização de rotas economicamente mais vantajosas às transportadoras (barateando os custos ao embarcador);
  • nessa modalidade de carga, pode haver a preocupação de reunir mercadorias com características semelhantes em um mesmo espaço. Por exemplo, produtos frágeis, de altíssimo valor (como eletrônicos) ou mesmo que possam contaminar/ser contaminados por outros produtos, como químicos e alimentos. Dessa forma, produtos de caráter alimentício apenas podem ser transportados junto com produtos similares ou que não provoquem nenhum tipo de contaminação aos alimentos.

Por possuir diversas operações intermediárias, o transporte de carga fracionada pode resultar em elevação do prazo para entrega; além disso, esse tipo de carga exige especial atenção ao monitoramento, uma vez que a mercadoria percorrerá diversas localizadas antes de chegar ao seu destino final. O ideal é ter um sistema de gestão de frete que, integrado ao sistema da transportadora, permita o rastreamento em tempo real dos produtos despachados.

O que deve ser observado na definição entre carga fracionada e carga completa

Cobertura geográfica

Quando a modalidade escolhida é a carga fracionada, é preciso verificar a cobertura geográfica atendida pela empresa de serviços logísticos, uma vez que, em alguns casos, pode ser necessário utilizar mais de uma empresa para completar a entrega (aumentando os custos). Essa preocupação é reduzida no caso da escolha pela carga completa, uma vez que, nesse caso, o consumidor paga pelo frete total.

Tempo de entrega

Na carga fracionada, o tempo de entrega dos produtos costuma ser superior ao da carga completa, uma vez que as rotas traçadas nessa modalidade englobam a remessa de outras mercadorias, de outros clientes e em localizações diferentes. Quem precisa de maior velocidade na entrega deve analisar com extremo cuidado a opção pela carga fracionada.

Necessidade de monitoramento

Carga fracionada e carga completa, aqui não importa a opção: uma solução inteligente — que seja capaz de interligar lojas online e provedores de transporte — é fundamental para garantir o sucesso das operações logísticas de seu e-commerce. Conhecido como TMS embarcador (sigla em inglês de Transportation Management System ou, em português, Sistema de Gerenciamento de Transporte), esse software permite ao embarcador ter sempre informações do status da entrega em tempo real. Uma aplicação em nuvem que possibilita, entre outras coisas:

  • cálculo de frete;
  • gestão de despacho;
  • rastreamento de entregas;
  • auditoria de faturas e reembolso dos Correios;
  • acompanhar todo o processo de logística e agir rápido quando houver problema.

Quem é gestor de operações no varejo online sabe bem da dificuldade de controlar o fluxo de todas as entregas, dar explicações ao cliente sobre eventuais atrasos, fazer reconciliação de faturas etc. Melhorar a eficiência das entregas em uma loja virtual exige automatizações no processo de monitoramento. É esse diferencial que resulta no aumento dos níveis de satisfação do cliente, redução de custos e aumento do ticket médio da empresa.

Compreendeu as diferenças entre carga fracionada e carga completa? Então assine agora nossa newsletter para receber em seu e-mail todas as principais novidades sobre otimização da cadeia logística! Sucesso e até a próxima!