Intelipost

10 fatores que influenciam no valor do frete das transportadoras

Publicado em
por:
valor do frete - 10 fatores que influenciam

Existem diversos fatores que influenciam no valor do frete das transportadoras e que vão muito além da distância entre o remetente e o destinatário. Apesar de cada uma ter uma forma de realizar o cálculo, elas utilizam uma ferramenta chamada “tabela de frete”, que considera essas variáveis e — de acordo com as características do serviço — chegam a uma cobrança específica para cada cliente.

O desafio surge quando há vários transportadores prestando serviço para a empresa, fazendo com que seja necessário controlar diversas tabelas e formas de cálculo distintas — o que torna praticamente impossível a conferência manual dos valores.

No artigo de hoje, vamos falar de forma mais aprofundada sobre esse tema, explicando a importância do cálculo correto, as consequências de uma implantação inadequada e o impacto dos custos para a empresa e o consumidor.

Quer saber mais sobre esse assunto? Então continue acompanhando a leitura e confira agora mesmo!

A importância do cálculo correto

Nós, da Intelipost, sempre nos impressionamos com o índice de erros no cálculo de fretes. Por mais fundamental que pareça, a complexidade do cálculo, somada a todas as variáveis que contribuem para a formação do custo, geram muitas divergências quando comparadas com o valor efetivamente cobrado por uma transportadora.

O cálculo adequado do valor de frete é fundamental para que as melhores decisões de negócio sejam tomadas. Erros podem levar a vendas de margem abaixo do esperado, ou mesmo à perda de venda por desistência do cliente. Nesse sentido, é preciso levantar quais são todas as variáveis que envolvem o preço, buscando chegar ao valor ideal e evitar prejuízos. Nos tópicos seguintes, falaremos a respeito dos fatores que influenciam na formação do valor. Veja:

1. Peso e dimensões

Normalmente, a variável do peso é definida a partir da comparação entre o peso bruto e o peso cubado — que é a multiplicação das dimensões da embalagem por um fator determinado —, usando o maior entre eles para realizar o cálculo. Em termos gerais se a área ocupada for proporcionalmente maior do que o peso do produto, ela é que é utilizada para o cálculo.

A ideia é fazer com que a cobrança seja mais justa, tendo em vista que, mesmo que os produtos sejam leves, se forem volumosos, ocupam mais espaço no veículo, impedindo que mais itens sejam incluídos na carga.

2. Valor da Nota Fiscal

O valor da nota fiscal também é um dos fatores que mais influenciam no valor do frete cobrado pelas transportadoras. Em alguns casos, o preço final da entrega baseia-se apenas numa taxa percentual da Nota Fiscal Quanto maior for o valor do item, mais oneroso é o transporte — você pode perceber isso por meio da diferença de preço quando o produto carregado é tratado como carga valiosa. Além disso, existem várias taxas que são calculadas a partir do preço do produto, como por exemplo taxas de gerenciamento de risco e seguros.

3. CEP de destino

A distância entre o local da coleta e o da entrega também influencia no cálculo do frete. Quanto maior for a quilometragem, maior será o valor cobrado. Isso se dá, principalmente, pelo gasto que se tem com combustível e pneus para a realização do transporte. Algumas transportadoras definem esse custo como “valor do frete por km rodado”. Além disso, regiões de acesso dificultado, como áreas de risco e regiões do Norte do Brasil, que somente podem ser acessadas via barco ou avião também tem um preço diferenciado.

4. Categoria do produto (frágil, perecível, visado, etc)

Quando os produtos a serem transportados possuem características especiais, que requerem uma tratativa diferente no manuseio e transporte, o valor cobrado costuma ser maior. É o caso de cargas frágeis, que precisam de um reforço maior na embalagem para transporte, e itens perecíveis que necessitam de um transporte rápido ou um veículo próprio — como cargas vivas, flores e medicamentos, por exemplo.

5. Características do destinatário (área de risco, difícil entrega)

Algumas transportadoras também consideram a periculosidade e o grau de dificuldade na entrega para cobrar um valor maior na entrega. Áreas em que o risco de extravio ou furto das mercadorias no ato da entrega, além da dificuldade do veículo em chegar ao local, são as que estão inclusas nessa categoria. Também são considerados nesta categoria shoppings ou grandes condomínios logísticos, que requerem um tempo de descarregamento de carga maior.

6. Prazos diferenciados

A necessidade de enviar os pedidos para os clientes com prazos diferenciados também afeta o valor do frete, tornando-o mais caro. A diferença é ainda maior quando é necessário fazer a troca de modal — como quando se troca o rodoviário pelo aéreo, reduzindo o prazo consideravelmente.

7. Pedágios e taxas específicas

Além de todas as variáveis já citadas, também há a incidência de taxas, pedágios e impostos, que acabam aumentando o valor do frete. Dentre eles, temos:

Pedágios

Os pedágios são cobrados de acordo com o percurso que será percorrido para a realização da entrega. Quando a carga é fracionada, algumas transportadoras costumam fazer o valor do rateio total entre os pedidos que estão sendo enviados — o que faz com que os custos sejam menores para os clientes. Normalmente a taxa é cobrada a cada fração de 100kg.

Taxa de gerenciamento de risco (GRIS)

Essa taxa é cobrada com o objetivo de cobrir os custos relacionados à prevenção de riscos e no combate ao roubo e furto das cargas. Incide com base em um percentual sobre o valor da nota fiscal.

Ad Valorem

É uma taxa cobrada pelas transportadoras, para assegurar as cargas transportadas quando elas não estiverem em trânsito. Também é encontrada com base em um percentual sobre o valor da carga.

Taxa de Restrição ao Trânsito (TRT)

Existem alguns locais que possuem restrições com relação à circulação de veículos pesados, horários de circulação ou mesmo atividades de carga e descarga, como por exemplo a cidade de São Paulo. Nesses casos, algumas transportadoras cobram valores adicionais para realizar o transporte.

Frete excedente

É uma cobrança adicional para quando o peso ou o valor da carga excede o que é estabelecido na tabela acordada com a transportadora.

Taxa de coleta e entrega

Dependendo da distância entre a localização da transportadora e da empresa contratante, pode existir a chamada “taxa de coleta e entrega”. Ela serve para cobrir os custos de deslocamento para a retirada no centro de distribuição e envio para o cliente.

8. Os custos pós-envio (reenvio, devolução e taxa de difícil entrega)

Existem algumas situações adversas durante uma entrega que podem fazer com que o valor do frete seja maior do que o planejado inicialmente. Dentre elas, temos:

  • Dificuldade na entrega para o cliente: devido à restrição de horário, por exemplo, ou quando o motorista precisa aguardar mais do que o tempo necessário para realizar a descarga — cobrança chamada de “diária”;
  • Devoluções: ocorrem quando é trocado o envio de um pedido, por exemplo;
  • Reenvio: quando existe a necessidade de reenviar a carga. Pode ser necessário em decorrência de um extravio ou por causa da não entrega na primeira tentativa.

9. Imposto

O ICMS — Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços — também é incluso no valor do frete, visto que incide sobre todas as operações que envolvem transporte intermunicipal e interestadual. Para envios Intramunicipais, é cobrado o ISS.

10. Tarifa mínima

Algumas transportadoras determinam um peso mínimo para cobrança de frete — que normalmente é de 50 kg. Nessas situações, mesmo que o peso maior entre o bruto e cubado seja pequeno, a tarifa irá incidir sobre mínimo que foi estipulado para entrega no contrato.

Como fazer o cálculo correto

Agora que já se sabe quais são todos os fatores, condições e taxas que compõem o valor do frete de uma transportadora, é hora de falar como esse cálculo é realizado na prática. Primeiramente, é válido ressaltar a importância dessas informações para que elas sejam informadas ao cliente no momento da compra e permitir que ele avalie se elas atendem suas necessidades e respeitam as limitações.

A complexidade da formação do preço de entrega é gerenciada por meio do cruzamento de todos os dados na chamada “tabela de frete”. Sendo assim, ao consolidar todas as informações referentes ao pedido, utiliza-se as informações disponíveis para fazer o cálculo — baseando no que foi estabelecido por contrato com a transportadora.

O impacto do valor do frete

Como se sabe, o valor do frete é um dos maiores custos que uma empresa absorve em suas operações, o que faz com que ele comprometa uma grande fatia do faturamento. Esse também é um dos motivos que fazem com que seja necessário fazer o controle dos preços cobrados pelas transportadoras, visto que qualquer falha pode fazer com que o negócio arque com prejuízos.

Além disso, quando esse custo é muito elevado e a precificação para o consumidor final não é adequada, a lucratividade é prejudicada. Portanto, além de ser necessário fazer a identificação para fins de controle financeiro, ela é necessária para que a formação de preço seja ideal.

Consequências da adoção de um método de cálculo inadequado

Como você já pode perceber, o cálculo do valor do frete que será cobrado por entrega é complexo e varia de acordo com a definição da transportadora contratada. Diante de tantas variáveis e formas distintas, ao fazer o controle desses cálculos de forma manual, se torna praticamente impossível chegar a um valor exato. Dentre as consequências que podem ocorrer, podemos citar:

Cálculo do valor do frete para menos

Quando o preço estabelecido é menor do que o ideal para cobrir os custos da operação, a empresa acaba sofrendo com um prejuízo não planejado, o que pode tornar a margem de lucro de uma transação tão baixa a ponto da venda ser prejudicial à empresa, por exemplo.

Cálculo do valor do frete para mais

Neste caso, a margem de lucro acaba sendo maior do que o esperado. Entretanto, o alto valor do frete pode fazer com que os clientes desistam de fazer negócio e procurem outras empresas que oferecem preços mais competitivos.

Além dos custos, também é necessário acompanhar os prazos que as transportadoras prometem para a realização das entregas. Isso é importante porque, mesmo que os valores sejam semelhantes, podem haver diferenças consideráveis no tempo praticado. Existe também o risco de calcular o prazo de forma equivocada, o que leva a duas situações:

  • Prazo errado para menos: quando se estabelece um prazo menor do que o adequado para a entrega do pedido, é bem provável que essa carga chegará ao cliente com atraso — avaliando o ponto de vista do consumidor. Ou seja, a transportadora precisa de uma quantidade de dias maior, mas o informado para o cliente foi um prazo menor;
  • Prazo errado para mais: outro ponto fundamental na tomada de decisão de fechar a compra é o prazo estipulado. Quanto maior for o tempo necessário para a entrega, maior a possibilidade de o cliente desistir — principalmente se encontrar outras empresas que oferecem prazo menor.

Ou seja, além de ter a preocupação com o cálculo correto do valor do frete, é necessário ter o cuidado de fazer a gestão adequada do prazo de entrega para os clientes, visto que ele também influencia na decisão e na experiência de compra que ele possui na sua empresa — que pode ser boa, se o produto chega antes do prazo, ou provocar sua perda, se o pedido não é enviado dentro do tempo estipulado no site.

Dito isso, vale a pena ressaltar a importância de investir na automação desse processo, que permite a realização desse tipo de cálculo de forma automática, aumentando a segurança e a confiabilidade dos resultados obtidos.

Os custos para o consumidor

Um dos fatores decisivos para que o cliente decida concluir a venda é o valor do frete no momento do fechamento. As necessidades e vontades de cada cliente são diferentes, e devemos levar isso em conta ao decidirmos sobre as opções de frete disponíveis. Portanto, é importante ter uma boa oferta de entrega ao cliente, visto que isso aumenta a chance de conversão em seu site.

Como exemplo, existem casos em que os prazos de entrega acabam sendo mais relevantes do que o preço que será pago. Nessas situações, os clientes possuem ciência de que, para um período menor de envio, é necessário desembolsar um pouco mais.

Independentemente da escolha, pode-se repassar parte dos valores ao consumidor — seja por meio cálculo do frete, seja por meio do valor embutido no preço da venda do produto. Caso contrário, esse custo é totalmente absorvido pela empresa.

É preciso definir uma estratégia para a oferta de fretes que esteja alinhada aos objetivos da empresa – sejam eles aumentar vendas agressivamente, manter o patamar existente com uma margem de lucro satisfatória, ou simplesmente maximizar a margem por pedido, mesmo que isso leve a um menor volume. Veja alguns exemplos de ofertas de fretes praticadas:

As ofertas de frete

1. Frete econômico

Nessa modalidade, o valor do frete ao final da compra é pequeno — adequado para os clientes que consideram o preço um fator fundamental na decisão de compra. Entretanto, o tempo de entrega costuma ser maior do que o frete normal. Sendo assim, nessa opção, o prazo total deixa de ser relevante e o foco está no valor.

2. Frete padrão

Essa é a modalidade mais comum de frete. Os preços e os prazos praticados estão de acordo com a média que é oferecida no mercado. Enquanto o preço é um pouco maior do que no frete econômico, o tempo de espera para o recebimento do pedido diminui.

3. Frete expresso

Essa modalidade busca atender os consumidores que não se preocupam tanto com o valor do frete, mas fazem questão de receber seus produtos no menor prazo possível. Esse é um dos tipos de frete mais caros existentes no mercado e normalmente é enviado pelo modal aéreo ou pelas entregas expressas dos Correios.

Também pode ser utilizada quando algum processo interno sofre alguma falha que faz com que o risco de atraso na entrega ao cliente seja muito grande. Nesse caso, ela é usada como um recurso para evitar que isso aconteça e prejudique a experiência de compra e a satisfação do consumidor.

4. Same day delivery

Nessa opção — entrega no mesmo dia, em português —, o envio é realizado no mesmo dia em que a compra é confirmada no sistema da empresa. Aqui no Brasil, é uma prática relativamente recente e ainda é aplicada apenas nas grandes capitais por algumas empresas.

Assim como no frete de urgência, os clientes escolhem pelo prazo, em detrimento do preço que será cobrado.

Além dessas quatro opções, que envolvem a escolha do cliente com relação ao tempo estimado de entrega e o valor do frete, existe o lado da empresa, que considera os custos que serão absorvidos pelo negócio e a capacidade que ele possui de assumi-los ou se as escolhas podem acarretar em prejuízos futuros — prejudicando seriamente a saúde financeira do negócio.

Até aqui, falamos sobre os tipos de frete, relacionando preço e prazo. Porém, no que diz respeito ao custo que ele gera para a empresa, existem diversas opções, que podem se tornar um grande atrativo, mas, em todas elas, a decisão deve ser planejada. Veja alguns casos:

Como gerenciar tais custos

1. Frete grátis

O frete grátis é uma das estratégias que as empresas adotam para atrair e fidelizar mais clientes, além de alavancar as vendas. Entretanto, é necessário ter a consciência de que ou os preços dos seus produtos irão se elevar — ao embutir parte do custo das entregas — ou a sua empresa será responsável por absorver todos os custos.

O risco disso é comprometer os lucros ou mesmo causar sérios prejuízos em longo prazo, fazendo com que o negócio não seja capaz de honrar com todos os seus compromissos. Portanto, é uma decisão que precisa ser muito bem planejada.

2. Frete integral

Por outro lado, existe essa opção, em que o valor total é pago pelo consumidor. Financeiramente falando, é a opção mais viável para o seu negócio. Porém, os valores podem fazer com que os clientes desistam da compra — mesmo se o valor do produto for um pouco menor.

3. Frete subsidiado

Já nesse caso, o valor do frete fica dividido entre o cliente e a empresa. É uma opção que beneficia ambas as partes já que, ao mesmo tempo em que os custos não são totalmente absorvidos no faturamento, os clientes conseguem perceber um preço mais competitivo do que o esperado.

4. Descontos por valor de compra

Algumas empresas optam por oferecer descontos, ou mesmo frete grátis, a partir do momento em que o cliente atinge um valor mínimo de compra estipulado. É uma boa estratégia para conseguir aumentar o faturamento e tornar o processo de venda mais atrativo.

5. Descontos para programas VIP

Fidelizar um cliente sai mais barato para a empresa do que converter novos consumidores. Com isso, outra opção é oferecer programas de desconto para aquelas pessoas que já são assíduas, ajudando a melhorar ainda mais o relacionamento.

O que pode ser feito para otimizar a gestão de fretes em sua empresa

Certamente você já notou a importância do acompanhamento desse custo e como ele impacta nas finanças da sua empresa — e, principalmente, como pode causar impactos negativos, caso não for bem gerido. Portanto, é preciso identificar meios de otimizar os custos e aprimorar o controle e a conferência das faturas das transportadoras. Veja algumas das opções para que isso possa ser feito:

Agendamento de entregas

O agendamento das entregas consiste em entrar em acordo com o cliente a respeito de uma melhor data para realizar as entregas. Isso, além de ajudar a oferecer uma melhor experiência de compra para o consumidor — que pode optar por uma data mais adequada para receber seus produtos —, ajuda a empresa no processo de consolidação de cargas.

Nesses casos, principalmente quando se lida com muitos pedidos fracionados, essa prática permite que se concentre mais cargas de determinada região, otimizando os custos com frete.

Multicanal

Varejistas que possuem lojas físicas, além da loja virtual, podem alavancar estes pontos de venda como pontos de coleta para os consumidores do online. Ao utilizarem transporte, pessoal e estrutura já utilizadas no negócio físico, conseguem ter um custo operacional baixo e oferecem a “retirada na loja” como uma oferta econômica. Ademais, um consumidor a mais em sua loja é mais uma oportunidade de venda.

Investimento em tecnologia

O investimento em tecnologia é algo que permite modernizar as operações de uma empresa, reduzindo consideravelmente a necessidade da realização de trabalhos manuais e o índice de erros e aumentando a agilidade, confiabilidade e segurança dos processos.

No que diz respeito à gestão de frete, é possível contar com soluções, como o TMS, ajudam a realizar o cálculo de frete, a decidir qual transportadora contratar, assim como a fazer a conciliação das contas, o rastreamento das entregas, entre outras coisas.

Além de aprimorar a parte de contratação e conferência, otimizando os custos, o monitoramento pode ser utilizado para informar ao cliente a respeito do status de suas entregas e tornar o processo mais transparente.

Entenda mais sobre os benefícios do TMS para a sua empresa.

Como você pode ver, existem diversos fatores que influenciam no valor do frete cobrado pelas transportadoras, além do fato de que cada uma delas possui métodos diferentes para o cálculo. A conferência desses valores é essencial para que sua empresa não tenha prejuízos operacionais — e escolha corretamente quem fará o transporte —, além de fornecer a informação correta para os clientes.


Gostou? Compartilhe esse conteúdo!

Relacionados

prêmioabcommdeinovaçãodigital
Grupo Intelipost é indicado ao Prêmio ABComm de Inovação Digital 2024
tendências para a logística em 2024
4 tendências para a logística em 2024
Categorias
Newsletter

Cadastre o seu e-mail e receba as nossas novidades