Tendências

O futuro do last mile entra em pauta com a aceleração do desenvolvimento do e-commerce em escala global. Esse movimento gerou grandes transformações na jornada de compra dos consumidores como também impactos para os grandes centros urbanos.

Dados do Fórum Econômico Mundial apontam que até 2030 as entregas na última milha poderão crescer em até 78%, por isso, é preciso entender quais serão os desafios e consequências na performance das entregas e o que será preciso otimizar para manter a qualidade do serviço prestado e a sustentabilidade das operações.

O que está impulsionando a logística da última milha no mundo?

O crescimento do varejo online impulsionou o aumento de demandas na logística last mile. Ainda hoje, o maior número de reclamações dos consumidores diz respeito às entregas. Leia a seguir alguns fatores que irão impulsionar e nortear o futuro do last mile

Urbanização

Segundo o Fórum Econômico Mundial, 70% das emissões globais são geradas pelas pessoas que moram em cidades. Esse aumento da mancha urbana tem causado grandes problemas, dentre eles destacam-se o congestionamento, violência no trânsito e, principalmente, poluição sonora e ambiental.

E-consumidores

A crescente demanda por entregas de comércio eletrônico é um fator que tem afetado a logística da última milha, afinal, o mercado online está cada vez mais aquecido.

Essa demanda aumentou ainda mais com o novo cenário de pandemia global que exigiu rápidas adaptações. Essa flexibilidade e conveniência nas entregas, como também os protocolos de segurança são fatores que irão se manter no mercado.

Categoria de Produtos

É nítido que com o advento da tecnologia, o mercado de vendas virtuais ganha destaque e preferência na vida de muitos indivíduos. Com destaque para alguns produtos que mais vendem nessas transações online como aparelhos eletrônicos, livros e roupas de diversas marcas.

Porém, com o alto poder do mercado online tem-se a expectativa de que nos próximos anos tenha um crescimento de vendas relacionados a indústria de mantimentos, alimentação e peças de veículos.

Entrega expressa

É fato que o setor de entregas tem se adaptado, gradualmente, para atender essa demanda de vendas cada vez maiores. O cliente preza por pontualidade e compromisso na entrega do seu produto. Nesse sentido, a velocidade tem sido uma peça chave para que esse serviço seja efetivo.

Esse cenário poderá causar sérios impactos nas cidades, haja vista a sua inteira ligação com aumento do fluxo massivo de automóveis nos aglomerados urbanos, bem como a devastação do ecossistema.

Tecnologia

É notório que o investimento em tecnologia da última milha tem trazido bons resultados ao setor do e-commerce e, por consequência, dado maior visibilidade a esse setor no mercado logístico.

Esse crescimento se dá pelo poder que as mídias digitais possuem em fazer gerenciamentos online, controlar frotas externas e internas e gerenciar os processos de entregas dos produtos.

Trânsito e logística da última milha nas cidades é uma relação complexa

Entre eles, se destacam o alto nível de congestionamento no trânsito e a elevada emissão de gases poluentes pelos meios de transporte usados.

Com a intensificação das entregas em determinadas regiões por conta da maior adesão ao e-commerce, estima-se um aumento no tráfego individual de consumidores recolhendo pacotes em pontos de retirada. Porém, este aumento pode ser compensado pela redução no tráfego comercial para reabastecimento das lojas físicas. Assim, a descentralização dos centros de distribuição, com a adoção de lojas físicas funcionando como mini hubs logísticos podem ser consideradas algumas das tendências para o futuro do last mile

Outras ações que podem ser desenvolvidas são as entregas em horários não-convencionais, ou “horário de pico” dos centros urbanos, por exemplo, no turno da noite. Assim, a chance de engarrafamentos, atrasos na entrega e possíveis acidentes no trânsito são reduzidos.

Igualmente, é preciso salientar a parte da poluição, afinal, a grande quantidade de veículos usados para fazer essas entregas em domicílio acabam por prejudicar o ambiente. Para amenizar esse problema, já se fala na utilização de veículos elétricos, ou até mesmo droids autônomos terrestres para realizar entregas. Mas isso ainda deve levar algum tempo para chegar ao Brasil.

Qual a relação entre os meios tecnológicos e o crescimento
do e-commerce?

É fato que, com o advento da tecnologia, as empresas que buscam melhor destaque no mercado passaram a desenvolver sistemas inovadores para atrair seus clientes. Desse modo, as compras online foram um fator primordial para alavancar os setores de tecnologia e logística.

Além disso, temos acompanhado o desenvolvimento e amadurecimento das plataformas de e-commerce e o surgimento de startups com soluções voltadas para o transporte e a experiência de entrega, também conhecidas como logtechs.

E então… Quais as soluções para a logística da última milha?

A digitalização do varejo e a expansão do e-commerce gerou uma transformação definitiva na forma como pensamos logística nas cidades. Novos comportamentos de consumo associados ao surgimento de novos modelos de negócio irão trazer grandes desafios para os gestores, empreendedores e desenvolvedores. Será preciso muita colaboração e transparência. Visibilidade dos processos em tempo real será algo cada vez mais necessário.

Ainda é cedo para definir uma solução única para uma logística tão complexa como a brasileira. No mais, é recomendado que os players busquem por soluções que agreguem valor em sustentabilidade. Não só isso, as empresas tem a responsabilidade de fomentar discussões e colaboração entre os atuantes no setor. Fora isso, o investimento em pesquisa e desenvolvimento para que esses cenários mais sustentáveis idealizados recebam os insumos necessários e possam se tornar realidade.

Gostou deste conteúdo? Não deixe de assinar a nossa newsletter e receba informações atualizadas sobre os mercados de
e-commerce, tecnologia e logística!

A aceleração do desenvolvimento do e-commerce em escala global gerou grandes transformações na jornada de compra dos consumidores como também impactos para os grandes centros urbanos.

Dados do Fórum Econômico Mundial apontam que até 2030 as entregas na última milha poderão crescer em até 78%, por isso, é preciso entender quais serão os desafios e consequências na performance das entregas e o que será preciso otimizar para manter a qualidade do serviço prestado e a sustentabilidade das operações.

O que está impulsionando a logística da última milha no mundo?

O crescimento do varejo online impulsionou o aumento de demandas na logística last mile. Ainda hoje o maior número de reclamações dos consumidores diz respeito às entregas. Leia a seguir alguns fatores que irão impulsionar e nortear o futuro do last mile

Urbanização

Segundo o Fórum Econômico Mundial, 70% das emissões globais são geradas pelas pessoas que moram em cidades. Esse aumento da mancha urbana tem causado grandes problemas, dentre eles destacam-se o congestionamento, violência no trânsito e, principalmente, poluição sonora e ambiental.

E-consumidores

A crescente demanda por entregas de comércio eletrônico é um fator que tem afetado a logística da última milha, afinal, o mercado online está cada vez mais aquecido.

Essa demanda aumentou ainda mais com o novo cenário de pandemia global que exigiu rápidas adaptações. Essa flexibilidade e conveniência nas entregas, como também os protocolos de segurança são fatores que irão se manter no mercado.

Categoria de Produtos

É nítido que com o advento da tecnologia, o mercado de vendas virtuais ganha destaque e preferência na vida de muitos indivíduos. Com destaque para alguns produtos que mais vendem nessas transações online como aparelhos eletrônicos, livros e roupas de diversas marcas.

Porém, com o alto poder do mercado online tem-se a expectativa de que nos próximos anos tenha um crescimento de vendas relacionados a indústria de mantimentos, alimentação e peças de veículos.

Entrega expressa

É fato que o setor de entregas tem se adaptado, gradualmente, para atender essa demanda de vendas cada vez maiores. O cliente preza por pontualidade e compromisso na entrega do seu produto. Nesse sentido, a velocidade tem sido uma peça chave para que esse serviço seja efetivo.

Esse cenário poderá causar sérios impactos nas cidades, haja vista a sua inteira ligação com aumento do fluxo massivo de automóveis nos aglomerados urbanos, bem como a devastação do ecossistema.

Tecnologia

É notório que o investimento em tecnologia da última milha tem trazido bons resultados ao setor do e-commerce e, por consequência, dado maior visibilidade a esse setor no mercado logístico.

Esse crescimento se dá pelo poder que as mídias digitais possuem em fazer gerenciamentos online, controlar frotas externas e internas e gerenciar os processos de entregas dos produtos.

Trânsito e logística da última milha nas cidades é uma relação complexa

Entre eles, se destacam o alto nível de congestionamento no trânsito e a elevada emissão de gases poluentes pelos meios de transporte usados.

Com a intensificação das entregas em determinadas regiões por conta da maior adesão ao e-commerce, estima-se um aumento no tráfego individual de consumidores recolhendo pacotes em pontos de retirada. Porém, este aumento pode ser compensado pela redução no tráfego comercial para reabastecimento das lojas físicas. Assim, a descentralização dos centros de distribuição, com a adoção de lojas físicas funcionando como mini hubs logísticos podem ser consideradas algumas das tendências para o futuro do last mile

Outras ações que podem ser desenvolvidas são as entregas em horários não-convencionais, ou “horário de pico” dos centros urbanos, por exemplo, no turno da noite. Assim, a chance de engarrafamentos, atrasos na entrega e possíveis acidentes no trânsito são reduzidos.

Igualmente, é preciso salientar a parte da poluição, afinal, a grande quantidade de veículos usados para fazer essas entregas em domicílio acabam por prejudicar o ambiente. Para amenizar esse problema, já se fala na utilização de veículos elétricos, ou até mesmo droids autônomos terrestres para realizar entregas. Mas isso ainda deve levar algum tempo para chegar ao Brasil.

Qual a relação entre os meios tecnológicos e o crescimento
do e-commerce?

É fato que, com o advento da tecnologia, as empresas que buscam melhor destaque no mercado passaram a desenvolver sistemas inovadores para atrair seus clientes. Desse modo, as compras online foram um fator primordial para alavancar os setores de tecnologia e logística.

Além disso, temos acompanhado o desenvolvimento e amadurecimento das plataformas de e-commerce e o surgimento de startups com soluções voltadas para o transporte e a experiência de entrega, também conhecidas como logtechs.

E então… Quais as soluções para a logística da última milha?

A digitalização do varejo e a expansão do e-commerce gerou uma transformação definitiva na forma como pensamos logística nas cidades. Novos comportamentos de consumo associados ao surgimento de novos modelos de negócio irão trazer grandes desafios para os gestores, empreendedores e desenvolvedores. Será preciso muita colaboração e transparência. Visibilidade dos processos em tempo real será algo cada vez mais necessário.

Ainda é cedo para definir uma solução única para uma logística tão complexa como a brasileira. No mais, é recomendado que os players busquem por soluções que agreguem valor em sustentabilidade. Não só isso, as empresas tem a responsabilidade de fomentar discussões e colaboração entre os atuantes no setor. Fora isso, o investimento em pesquisa e desenvolvimento para que esses cenários mais sustentáveis idealizados recebam os insumos necessários e possam se tornar realidade.

Gostou deste conteúdo? Não deixe de assinar a nossa newsletter e receba informações atualizadas sobre os mercados de
e-commerce, tecnologia e logística!