TendênciasLogística na América Latina
O comportamento do consumidor em relação às compras online se torna mais exigente a cada dia. Por esse motivo, é indispensável ficar por dentro das tendências para a logística na América Latina e compreender todo o potencial dos países que são referências no e-commerce.

Para que você tenha uma ideia, o cenário está extremamente positivo. O setor cresceu 8.49% no ano de 2020 e alcançou o valor de mercado de US$200 bilhões. Além disso, a região foi a segunda com o crescimento mais rápido no setor em todo o mundo. Ou seja, existe um cenário cheio de possibilidades que precisa ser aproveitado.

Veja as 5 principais tendências para a logística na América Latina em 2021.

1. Super apps

Os aplicativos são os principais responsáveis pelo tempo que um usuário passa em seu telefone. Como a maioria das pessoas tem vários apps instalados, mas usam sempre os mesmos para fazer serviços, a grande sacada do mercado são os super apps.

Eles são um ambiente estrategicamente pensado para atender todas as necessidades do público de maneira prática e eficiente. É uma alternativa bastante interessante na hora de competir pelo interesse dos usuários, porém, é essencial ter atenção com a estrutura logística para oferecer a melhor experiência possível.

Essa competição pelo tempo do cliente com o celular na mão é muito relevante no marketplace da China e já chegou no Brasil em diferentes tipos de planejamentos. Um exemplo muito interessante de super app é o WeChat, que foi criado pela Tencent, que é considerada referência entre os chineses.

No mesmo aplicativo, os usuários conseguem conversar com outras pessoas, selecionar e pagar compras, interagir em jogos, marcar consultas médicas, entre outros. Sem contar que todos os pagamentos são feitos por meio de QR Code, o que torna as transações seguras e extremamente práticas.

2. Contas digitais

O grande foco da logística em 2021 é elevar a experiência do cliente. Isso porque, com um mercado repleto de concorrência e soluções cada vez mais criativas, os consumidores precisam tomar boas decisões com seu dinheiro. O ponto principal, aqui, é que o cartão de crédito é o formato preferido dos consumidores na hora de pagar uma compra online.

No entanto, no Brasil, praticamente um terço da população não tem conta bancária, devido à burocracia envolvida em sua abertura. Assim, as empresas que desejam crescer no e-commerce precisam descobrir como alcançar esse público-consumidor, que gira em torno das classes econômicas C, D e E, que têm muito potencial para se tornarem compradores frequentes.

Nesse cenário, têm se fortalecido as fintechs, que surgiram no mercado e oferecem contas sem taxas e um processo muito menos burocrático. Contudo, saiba que esse tipo de inovação não precisa ser uma conta bancária propriamente dita. Já existem opções em grandes marketplaces que integram a plataforma do e-commerce com as transferências online, nas quais o cliente acumula créditos e realiza os pagamentos.

3. Estratégia D2C

Desde que o e-commerce alterou a logística de vendas na América Latina, os consumidores estão mais exigentes e, agora, não avaliam apenas a qualidade do produto em si, mas também toda a experiência. A novidade mais recente na área envolve a venda de produtos CPG (Consumer Packaged Goods), que representam bens de consumos embalados.

Segundo um relatório publicado pela Revista Forbes, calcula-se que, até 2025, as vendas de produtos CPG serão 20% por meios digitais. Diante disso, a venda D2C (Direct to Customer) desponta no mercado e se torna uma verdadeira tendência nos países da América Latina. Isso, na prática, é o processo no qual importadoras, indústrias e distribuidores vendem os produtos diretamente para o público.

O modelo tem evoluído de forma positiva pela possibilidade de eliminar os intermediários durante as vendas. Ou seja, os custos de distribuição tendem a ser muito menores e o retorno de lucro mais vantajoso. Grandes marcas ao redor do mundo já se beneficiam do formato e se tornaram exemplos de inovação.

4. Voice commerce

Buscar produtos e funcionalidades por voz é um caminho muito agradável aos consumidores. Afinal de contas, basta tirar o celular do bolso e falar seus pedidos de maneira rápida. Por esse motivo, tanto a busca quanto as compras por voz como os processos logísticos, por exemplo o picking por voz, são capostas fortes no e-commerce e para a logística na América Latina.

No Brasil, por exemplo, a taxa de vendas no formato é de 41%. Criar um assistente virtual que possa responder de maneira objetiva e ajudar os clientes a tomar a decisão de compra se mostra a melhor opção para aumentar as vendas. Com isso, também fica mais simples alcançar uma nova fatia de público, que se mostra mais interessado em facilidades.

5. Veículos autônomos

Os veículos autônomos representam uma das ideias mais lucrativas sobre o futuro do e-commerce em todos os lugares do mundo. Já em funcionamento no ecommerce asiático, esse tipo de dispositivo é capaz de melhorar a logística dos fretes, fazer com que as encomendas cheguem muito mais rápido e sem a interação de funcionários humanos.

Claro que na América Latina existe uma série de desafios que precisam ser alinhados para que os veículos automatizados de entrega comecem a funcionar. Entretanto, as inúmeras vantagens são consideradas e colocam a inovação como uma das prioridades.

A seguir, veja outros benefícios importantes:

  • fretes reduzidos e viagens mais rápidas;
  • redução de acidentes;
  • eliminação de falhas humanas;
  • entregas mais conscientes em relação à emissão de poluentes;
  • aumento na satisfação do cliente.

Nessa mesma linha também existem os drones, que representam uma solução logística para entregas expressas, uma modalidade de entrega que ganhou muita força em 2020. Assim, após a finalização dos pedidos, o cliente consegue receber o produto em poucas horas. Também, o envio tem poucas chances de imprevistos e há redução de custos como combustível.

E no Brasil, como está a experiência do consumidor?

A experiência do consumidor no Brasil sofreu grandes alterações com o período de isolamento social, após a pandemia de COVID-19. Pela impossibilidade de ir fisicamente às lojas, as compras online alcançaram um aumento de 8,5% em 2020 e a previsão de crescimento em 2021 é de 19%.

A seguir, veja as tendências que prometem despontar, especialmente, entre os consumidores brasileiros:

  • transferências por PIX;
  • digitalização e inclusão financeira;
  • integrações para uso do cartão de débito.

Pronto! Agora, você já sabe quais são as principais tendências de logística na América Latina em 2021. Vale lembrar de que, além dos avanços significativos, é preciso ficar de olho nos próximos passos para personalizá-los conforme as necessidades de sua empresa e os objetivos de crescimento no mercado, para alcançar cada vez mais consumidores.

Gostou das informações do artigo? Então, nos siga no Facebook, Twitter e LinkedIn.