Vendasvendas pela internet
As vendas pela internet cresceram 209% durante a pandemia. Esse número é um pouco inflado por conta do distanciamento social, mas essa é uma tendência que vem ocorrendo há alguns anos. Em 2019, o crescimento foi de 16,3%, em comparação com 2018.

Segundo dados da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico, o e-commerce vem crescendo constantemente ao longo do tempo. Em 2003, o faturamento era um pouco acima de R$1 bilhão. Hoje, 17 anos depois, o valor já supera os R$100 bilhões.

Por conta desses números, para quem quer vender online, os erros nunca foram tão caros. O público esta comprando cada vez mais pela internet e existe muita concorrência no mercado pronta para oferecer o mesmo produto ou serviço.

Se você é gestor ou gerente de e-commerce e tem muitos processos manuais nas suas vendas pela internet, pode estar perdendo oportunidades por conta dos erros. Então, continue lendo este post, pois preparamos um checklist dos principais erros que você não pode cometer.

Quais os erros mais comuns nas vendas online e como evitá-los?

Antes de tudo, erros fazem parte de qualquer negócio e é impossível eliminá-los totalmente. O problema é que a maioria das falhas que discutiremos a seguir podem prejudicar muito a sua empresa no volume de vendas.

Por exemplo, a média de abandono de carrinho brasileira é de 82% e a taxa de conversão média é de 1,6%. É claro que existem diversas explicações para esses números, mas é possível otimizá-los. Vejamos os problemas mais comuns e como evitá-los:

Produtos cadastrados erroneamente

Esse é um exemplo de erro que pode custar muito caro. Imagine que o cliente está procurando por um produto específico, clica no produto em uma página, achando que o encontrou, mas acaba se dando conta de que está consultando o produto errado, por conta de algum erro de informação/visualização. O que ele faz nesse caso? Sai da página e sua taxa de conversão cai.

Também pode ser que o produto esteja correto, mas as informações sejam superficiais. Pode ser que ele fique com dúvidas e procure as respostas no site do concorrente e compre com ele.

Felizmente, nesse caso, a solução é simples: ter um pouco mais de cuidado na hora de cadastrar os produtos. Uma opção é contar com um programa para cadastramento de produto. Assim, você precisa cadastrar apenas uma vez.

É um processo que demanda pensamento lógico e criatividade. Afinal, é preciso trazer as informações de forma rápida e precisa, mas também, de uma forma que chame a atenção dos clientes.

Reputação de marca

Esse é um erro mais sério, que acontece a longo prazo. Os clientes são muito exigentes e compram apenas de empresas que têm boa reputação. Eles podem visitar sites como o Reclame Aqui para entender como é sua reputação.

Além disso, marketplaces têm mecanismos para ajudar a entender a reputação dos vendedores, como por exemplo o termômetro do Mercado Livre. Nesse caso, você precisa prestar um bom atendimento.

Busque automatizar processos para evitar problemas com os pedidos e os pagamentos. Além disso, quando ocorrer um erro, jamais deixe o cliente sem resposta. Tente resolver o mais rapidamente possível, de preferência, em um ambiente fechado, como por e-mail ou telefone.

Falhas na atualização de estoque

Manter o estoque desatualizado pode deixar o cliente muito desapontado quando ele procura ou compra um produto que não está disponível. Uma situação é pior que a outra, mas ambas não são legais para a sua loja online.

A melhor forma de resolver esse problema é usar um sistema para automatizar o fluxo de estoque. Você também pode controlar entradas e saídas manualmente, mas isso é, sem dúvidas, muito mais trabalhoso.

Canais de venda funcionando de maneira independente

A escolha dos canais de venda é absolutamente crucial. Antes de tudo, você precisa ter consciência de que escolherá canais que façam sentido, pois é lá que seu público está.

Por outro lado, depender de um único canal de forma independente é perigoso, pois você limita o seu público. O ideal é trabalhar canais em uma operação omnichannel, de modo que eles conversem entre si.

Preços pouco competitivos

O preço é e sempre será um dos maiores fatores para compras na internet. É muito fácil comparar valores e conseguir descontos, o que significa que, se você cobra mais do que a concorrência, precisa ter um produto espetacular.

Existem formas de cortar os preços, diminuindo os custos de produção ou negociando com o fornecedor. Para tanto, é essencial conhecer suas margens, pois se você abaixar o valor demais pode prejudicar seu negócio.

Como uma rede de parceiros pode ajudar nas vendas pela internet?

Não ter uma rede de entregas eficiente também é falha gravíssima. Além de você ficar na mão de custos de frete possivelmente mais caros, seus produtos podem estar suscetíveis a atrasos ou danos, o que gera insatisfação nos clientes. A solução para isso é procurar por parceiros que garantam um serviço de qualidade por um preço justo.

Outra opção é contratar um sistema para otimização de logística, também conhecido como TMS, por ser uma solução que permite acompanhar as entregas em tempo real e reduções nos custos com ganho em eficiência. Como a logística nas entregas pode custar até 10% de todos os gastos de um e-commerce, é um investimento necessário.

A Black Friday de 2020 está se aproximando, o que significa que ainda há tempo para corrigir esses erros antes da data mais importante do e-commerce. As vendas pela internet, nesse dia, são garantia de faturamento, como os dados da Black Friday 2019 deixam bem evidente. Foram mais de 400 mil brasileiros que compraram pela primeira vez e um faturamento total de mais de R$ 3,2 bilhões, em um único dia.

Para a Black Friday 2020, maiores desafios logísticos e melhores resultados nas vendas são as expectativas do varejo brasileiro.

Checklist da logística

Conheça os cases de sucesso da Intelipost e entenda como podemos ajudar sua empresa a reduzir custos e aumentar a eficiência da logística no seu e-commerce.