Cálculo de Fretetaxa de permanência de carga
O cálculo de frete é um assunto amplo, uma vez que envolve uma série de detalhes da complexa gestão de transporte. Em geral, empresas formatam esse preço com base em fatores como o frete peso, o frete valor — também conhecido como Ad Valorem — e o GRIS, taxa de Gerenciamento de Risco, que arca com gastos relacionados à segurança da mercadoria.

No entanto, esses três aspectos não são suficientes para cobrir todos os gastos da operação. Por isso, as transportadoras podem incluir no valor final certas taxas de transporte para quitar despesas ligadas a generalidades, como é o caso da Taxa de Permanência de Carga (TPC).

O que é a Taxa de Permanência de Carga?

A TPC é cobrada quando uma mercadoria precisa permanecer armazenada por motivos que não dependem do transportador, como nos casos de agendamentos de entrega, fiscalização, reentregas, restrições de trânsito, entre outros.

Nesses casos, a instituição repassa para o cliente as despesas provenientes da manutenção do espaço ocupado pela carga em galpões — como acontece nas operações logísticas que envolvem cargas fracionadas, muito comuns nos e-commerces e marketplaces.

Por que existe a TPC?

A atividade de armazenagem envolve uma série de custos. Portanto, o intuito é que a TPC entre no cálculo de frete para ressarcir proporcionalmente o transportador contratado pelos gastos que ele teve com a locação de um espaço e as demais exigências, como seguro, imposto predial, serviços de vigilância, entre outros.

Como é calculada a Taxa de Permanência de Carga?

A Taxa de Permanência de Carga é determinada de acordo com o tempo de permanência de um produto com a transportadora, bem como seu peso e seu valor. Logo, esse custo dependerá muito do período que a mercadoria continua estacionada, bem como sua posição ocupada em um armazém.

A cobrança é orçada com base em uma taxa por tonelada/dia ou fração. Algumas empresas também podem adicionar um percentual — entre 0,20 a 0,40% — sobre o valor da mercadoria em nota fiscal referente ao seguro da carga durante o tempo de estadia.

Imagine uma mercadora que custa R$ 280 reais (valor em notal fiscal) e pesa 20 kg. Entenda como fazer o cálculo com o exemplo a seguir:

  • Valor da mercadoria em nota fiscal: R$ 280,00
  • Peso da carga: 20kg
  • Taxa de permanência da carga por ton/dia ou fração: R$ 22,50 (valor médio cobrado pelas empresas)
  • Seguro de carga durante a permanência: 0,20% sobre o valor do artigo em nota fiscal
  • R$ 22,50 + R$ 0,56 (0,20% sobre R$ 280,00) = R$ 23,06 por dia

Quais são as melhores dicas de negociação dessa Taxa?

Para evitar custos adicionais com uma taxa de permanência de carga, que encarecem ainda mais o cálculo de frete, a empresa precisa organizar seu fluxo de entregas e garantir que o envio seja feito logo após a coleta de uma encomenda, impedindo que os produtos precisem ficar armazenados em galpões.

Para isso, é preciso organizar remessas por distância e contar com parceiros capazes de fazer um transporte rápido. Da mesma forma, é preciso considerar as restrições do cliente e as especificidades de cada entrega.

Nesse sentido, uma dica para economizar custos e aprimorar o fluxo dos pedidos é recorrer a sistemas de inteligência logística , como TMS embarcador ou Gateway de Fretes, que concentram, em um só lugar as informações sobre diferentes transportadoras.

Assim, você consegue realizar cálculos e comparações de preços de frete em poucos cliques de forma rápida e prática, assegurando o melhor custo-benefício para o seu negócio.

Saber como funciona a taxa de permanência de carga e as demais tarifas de frete é essencial para otimizar o cálculo de frete e reduzir custos. Dessa forma você consegue planejar as despesas adequadamente e garante o excelente desempenho das suas operações!

Como você realiza o cálculo de frete na sua empresa, atualmente? Que critérios leva em conta na hora de negociar com uma transportadora? Deixe um comentário e compartilhe suas ideias conosco!