Logísticalogística colaborativa
As empresas vivem em uma busca constante para satisfazer os clientes e se manter competitivas no mercado. Essa necessidade de adotar novas estratégias gerou a logística colaborativa e, com ela, a mudança na forma como as parcerias de negócio são fechadas em prol desse objetivo.

Para explicar melhor como ela funciona, suas características e os benefícios que proporciona para os envolvidos, elaboramos este artigo.

O que é logística colaborativa?

Como o próprio nome dá a entender, trata-se da colaboração entre empresas parceiras, como fornecedores, distribuidores, representantes e prestadores de serviços — em alguns casos, os clientes também estão envolvidos.

O objetivo é aprimorar alguns processos e gerar economia, de modo geral. Dessa forma, em vez de cada player competir isoladamente no mercado, eles se unem para trocar melhores práticas e informações estratégicas para que todos sejam beneficiados.

Como resultado, chega-se a uma cadeia logística bem sólida, que melhora consideravelmente a qualidade no atendimento e ainda fortalece os envolvidos.

As principais características da logística colaborativa

Também conhecida como logística compartilhada, ela tem como base a integração e a comunicação entre as empresas dentro de uma cadeia. Nesse caso, a troca de informações é estabelecida e tem como propósito o crescimento de todos os envolvidos, por meio de:

  • compartilhamento das estratégias de atuação;
  • acompanhamento e atendimento das demandas;
  • aumento do poder de compra e venda de produtos e serviços.

A logística colaborativa na prática

Para explicar melhor como funciona a logística colaborativa na prática, trouxemos alguns exemplos de sua aplicação.

A economia colaborativa para o serviço de entregas

O Eu Entrego é um aplicativo que foi criado com a intenção de aprimorar os processos de entregas no Brasil. Por meio dele, empresas e entregadores independentes são conectados, e os envios podem ser feitos de qualquer lugar, com disponibilidade integral.

A ideia é que pessoas comuns façam entregas durante percursos que já fariam normalmente ao se deslocar do trabalho para casa, por exemplo. Funciona da seguinte maneira:

  1. um usuário faz a solicitação de uma entrega;
  2. o usuário indica o que precisa enviar, com informações sobre as características (tamanho, peso e até mesmo foto);
  3. ele define data e local para que o item seja retirado, endereço de entrega e prazo para realização do serviço;
  4. e então, disponibiliza o valor que está disposto a pagar por isso.

Feito isso, o aplicativo repassa o trabalho para entregadores mais próximos que podem aceitar ou negociar o valor do serviço. Com o acordo firmado, o solicitante passa a acompanhar a localização do entregador.

Vale destacar que as entregas podem ser feitas de carro, moto, bicicleta ou até mesmo a pé.

Centros de distribuição compartilhados

Operadores logísticos, além de oferecer o transporte de cargas para seus clientes, também disponibilizam a gestão de um armazém e todas as rotinas relacionadas a eles. Aqui, a logística compartilhada permite que um mesmo centro de distribuição seja usado para gerenciar produtos de clientes distintos.

O resultado disso é uma redução de custos na gestão de estoque e no processamento de pedidos — incluindo aluguel, energia elétrica, salário dos colaboradores, água e o uso de máquinas e equipamentos, por exemplo. Como o gasto total é repartido entre os clientes, todos saem ganhando, incluindo o operador, que deixa de perder com ociosidade e espaços vazios no galpão.

Compartilhamento de veículos

O compartilhamento de veículos para transporte não é tão novidade assim, já que isso é feito no envio de cargas fracionadas, em que um caminhão leva diversos itens de clientes distintos para a entrega.

Isso também pode acontecer nos casos em que a transportadora leva itens de determinado embarcador na ida e, na volta, carrega os itens de outro. Isso ajuda a economizar combustível e tornar as rotas mais produtivas e eficientes.

Os benefícios da logística colaborativa para o seu negócio

Com a colaboração entre parceiros de negócios, já é de se imaginar que alguns benefícios são obtidos. E com razão: é um modelo em que todos ganham, incluindo o cliente, que passa a receber um serviço de maior qualidade por um custo competitivo.

Redução de custos no armazenamento

A redução de custos é um dos maiores objetivos de muitos gestores nessa área, e ela pode ser alcançada por meio da logística colaborativa no compartilhamento de armazéns. Portanto, se uma empresa tem espaço sobrando no galpão e opta por alugá-lo para outro negócio, ambos podem dividir os gastos.

Redução de custos no transporte

Manter uma frota própria é uma estratégia que gera um custo alto para as empresas. Ao optar pela colaboração, transportadoras (e outras organizações) podem planejar o retorno do veículo carregado ou implementar um processo de logística reversa, por exemplo. Assim, o custo total de uma rota poderia ser dissolvido, visto que os caminhões dificilmente voltariam vazios para a base.

Podemos dizer o mesmo de embarcadores que decidem contratar fornecedores de transporte fracionado: o valor do frete é dividido entre as cargas que são enviadas, reduzindo os custos e aumentando a eficiência operacional.

Criação de uma cadeia logística mais sustentável

A logística colaborativa também contribui para que os processos e as empresas sejam mais sustentáveis. Isso ocorre por meio da logística reversa, que viabiliza o descarte adequado de resíduos, a reutilização de alguns materiais (como é o caso das embalagens de bebidas ou da reciclagem de itens) e também pelo fato de diminuir a quantidade de vezes que os caminhões rodam nas ruas, por exemplo.

Inteligência logística

Ao compartilhar boas práticas e outras informações relevantes do mercado, as empresas envolvidas na cadeia de abastecimento desenvolvem a inteligência logística. A troca de estratégias e soluções para os gargalos ajuda a aprimorar os processos e a sair na frente da concorrência.

Aumento da competitividade

Com todos esses benefícios conquistados, a colaboração e a formação de parcerias aumenta a competição entre os players. Parte disso ocorre devido ao fato de eles competirem como um grupo, e não como uma empresa isolada.

A logística colaborativa já deixou de ser tendência e se tornou realidade para muitas empresas. Gestores de diversas áreas de atuação já a enxergam como peça fundamental para otimizar os resultados de seus negócios.

Descubra outras estratégias logísticas neste outro artigo sobre como usar a logística para encantar seus clientes.