Tecnologiaon-premise ou cloud

Quem trabalha com logística sabe o quanto a tecnologia transformou o cotidiano do setor. Nesse contexto, uma dúvida que surge entre os gestores dessa área é a escolha do melhor modelo de servidor. Decidir entre o on-premise ou cloud nem sempre é simples, e exige um pouco de conhecimento.

A automação logística é muito mais do que um diferencial no mercado: trata-se de uma premissa para manter o setor produtivo e alcançar bons resultados para a empresa, e para ajudá-lo com essa tarefa, listamos algumas informações importantes sobre esses dois servidores, mostrando suas diferenças e especificações, para ajudá-lo a decidir qual é a solução ideal para o seu e-commerce.

O que é servidor on-premise?

Um servidor on-premise é aquele em que a própria empresa tem a responsabilidade de processar suas aplicações de hardware e software. Em outras palavras, toda a infraestrutura, customização, configuração e atualização é feita internamente.

Por ser um servidor interno, a empresa precisa ter um espaço físico adequado, já que é necessário cuidar da segurança e da operação dos equipamentos, além de investir em sistemas que assegurem o servidor de incêndios, inundações, desabamentos e roubos.

Todos os dados e recursos de TI estão dentro da empresa. Por isso, esse modelo de servidor demanda um investimento inicial maior (para a aquisição dos softwares e hardwares) e a contratação de uma equipe interna especializada, para que as informações estejam sempre seguras e acessíveis.

O que é servidor cloud (em nuvem)?

A proposta e dinâmica de funcionamento de um servidor cloud é bem diferente do on-premise. Isso porque, de maneira resumida, o servidor e todos os seus recursos são fornecidos remotamente, isto é, não estão dentro da empresa.

Os dados são hospedados em um Data Center externo. Assim, quando você contrata esse tipo de servidor, paga pelo consumo de recursos, como disco e memória, mas não precisa realizar um alto investimento inicial. Existem três modelos de nuvem:

Nuvem pública

Esse tipo de servidor é utilizado por vários provedores. Ao compartilhar os serviços e a mesma infraestrutura, esse modelo de cloud consegue ser mais barato do que os demais.

Nuvem privada

Essa é uma nuvem particular. Portanto, somente a empresa utilizará o servidor, que não precisa ser on-premise, ou seja, estar dentro de suas dependências.

É importante observar que esse modelo de nuvem demanda um investimento maior, mas é bastante indicada nos casos de informações sigilosas e estratégicas da empresa. Afinal, mesmo no caso de um Data Center de terceiros, haverá toda a segurança necessária.

Nuvem híbrida

Esse modelo reúne características da nuvem pública e da privada. Assim, a empresa que opta por ele pode mesclar, colocando dados mais sensíveis em uma rede privada e os demais na pública, reduzindo custos de armazenamento.

Quais são as diferenças essenciais entre servidores
on-premise e cloud?

Após conhecer os conceitos, entender as diferenças existentes entre esses modelos de servidores se torna mais simples. Ainda assim, é oportuno abordar o assunto de uma maneira mais profunda.

Acompanhe as diferenças essenciais entre esses servidores.

Diferenças estruturais

Nos servidores on-premise, a customização, implantação e aquisição das licenças ficam por conta da empresa. Além disso, os hardwares têm um custo elevado e são de grande volume, necessitando de um bom espaço físico disponível.

Nos servidores cloud, o hardware está localizado fora da empresa. Além disso, existe a possibilidade de aumentar os recursos de memória e processamento, por exemplo, sempre que a demanda for maior.

Diferenças financeiras

Conforme dissemos, o custo de aquisição de um servidor on-premise é maior. A empresa deve arcar com a compra de equipamentos e das licenças para uso dos softwares e hardwares, além de investir em manutenções e na contratação de técnicos profissionais disponíveis — principalmente em situações emergenciais. Por esse motivo, é possível afirmar que o custo pode oscilar de acordo com a demanda da empresa durante o mês.

Já no caso de um servidor cloud, a empresa arca com a contratação de um provedor em nuvem que cuidará da manutenção da estrutura. Assim, o cliente faz as configurações necessárias para operar seus sistemas, pagando um custo mensal por isso.

Diferenças operacionais

Além das diferenças já mencionadas, é importante esclarecer que existem aspectos operacionais distintos nesses dois servidores. No caso do modelo on-premise, a atualização dos softwares e hardwares, a instalação dos aplicativos e o treinamento de pessoal fica sob a responsabilidade da empresa.

Por conta disso, o negócio tem total domínio do servidor e pode fazer as alterações que julgar necessárias. Por outro lado, conta com um suporte apenas em horário comercial.

No modelo cloud, a atualização é fornecida de maneira constante pela contratada, que também detém o controle sobre o servidor. Além disso, a equipe especializada do provedor fornece um suporte a qualquer hora do dia, garantindo a estabilidade e o funcionamento das aplicações.

On-premise ou cloud: como saber qual é a melhor opção para
o meu e-commerce?

Depois de todas as informações apresentadas, é provável que você esteja em dúvida sobre qual é a melhor aplicação para o seu e-commerce. Essa é uma decisão importante e merece ser avaliada com atenção.

Em um primeiro momento, é preciso observar a questão da manutenção e atualização do servidor. Conforme visto, os dois modelos se diferem nesse aspecto, e é importante analisar qual é a necessidade da sua empresa.

Além disso, o custo e a agilidade do servidor devem atender ao seu orçamento e à sua demanda. A solução escolhida precisa ser adequada à realidade do seu negócio.

Desse modo, podemos concluir que a solução ideal é aquela que atende melhor ao seu e-commerce. Tanto os servidores on-premise ou cloud são viáveis e interessantes, o que define a escolha é a adequação e as vantagens que elas geram à empresa contratante.

Como vimos, a automação logística é essencial para o sucesso de uma loja virtual. O consumidor contemporâneo é exigente, e isso demanda uma logística estratégica, ágil e segura. Por isso, apostar em tecnologia tem sido uma decisão recorrente no mercado.

Esperamos que as informações apresentadas aqui possam ajudá-lo a fazer a escolha entre uma solução on-premise ou cloud. Lembrando que, independente da sua decisão, é importante que ela seja tomada com clareza, gerando mais qualidade e eficiência para o seu negócio.

O que achou deste material? Deixe o seu comentário, e acompanhe as novidades e tendências para a logística de e-commerce em nossa página no Facebook!