Fretetabela de frete

De acordo com um estudo realizado pela Fundação Dom Cabral, os custos que uma empresa tem com logística giram em torno de 12,37% da receita bruta. Sendo uma fatia tão representativa, o tema deve ser tratado estrategicamente, principalmente quando se fala de custos com transporte.

Sendo assim, a busca por custos competitivos é essencial para empresas que buscam por maior representatividade no mercado. Os gastos com transportes devem ser bem gerenciados, e a melhor forma de desempenhar essa atividade é a partir da tabela de frete.

O que é uma tabela de frete?

A tabela de frete é uma ferramenta que determina os valores mínimos para os transportes feitos em território nacional, criada pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres). O cálculo é explicado na Resolução 5.820/2018, que informa todos os custos que foram considerados para a determinação dos valores. 

Como é o funcionamento de uma tabela de frete?

O cálculo dos valores mínimos a serem cobrados na tabela de frete englobam os custos fixos e algumas informações variáveis, como o número de eixos do caminhão e distância percorrida para a entrega em questão.

Outras taxas, como pedágio e Ad Valorem, não estão inclusas na composição do custo mínimo, o que deixa espaço para os transportadores criarem seus preços e fomentar a competitividade nesse mercado. 

O que deve ser considerado na elaboração de uma tabela de frete?

Alguns fatores são fundamentais para que a tabela de frete seja precisa, tanto para as transportadoras, que precisam de lucro, quanto para os clientes, que desejam um valor competitivo. Separamos alguns dos itens a serem considerados: 

Características da carga

A carga é a demandante das especificações de cada transporte. É importante que, na tabela de frete, estejam descritos os valores para cada tipo de carga, sejam essas mercadorias leves, pesadas, frágeis, se são paletizadas ou carga solta, entre outras especificações. 

Modelo de veículo

O mercado oferece diversos tipos de veículos, desde pequenos, como as vans, que servem para cargas leves e prazos de entrega mais curtos, até grandes, caso dos caminhões de vários eixos, que permitem o carregamento de cargas mais pesadas. 

Prazos de entrega

Um caminhão de dois eixos tem uma velocidade de entrega menor do que um caminhão toco. Portanto, o prazo de entrega é de fundamental importância no momento de definição de valores para o frete, visto que cada veículo tem um valor específico.

Fator de cubagem

O fator cubagem é a relação entre o peso da carga e o espaço físico que ela ocupa. A partir de cálculos, chega-se a quantos metros cúbicos a carga ocupará, resultando no peso cubado. Quando esse for maior que o peso real, o frete deve ser determinado por esse valor. 

Combustível

O preço do combustível é uma das variáveis impossíveis de controlar. É importante que esse custo esteja atualizado na tabela de frete e que a empresa tenha motoristas treinados para que o gasto com o combustível esteja dentro da média calculada. 

Taxas e impostos

Os custos com transporte ainda precisam englobar todas as taxas e impostos que incidem sobre o serviço prestado, como o Ad Valorem, o GRIS, ICMS, ISS, taxas de restrição de trânsito, entre outros, que podem variar de acordo com a localização da entrega e do valor da carga. 

Distância percorrida

A quilometragem a ser percorrida é o principal fator de determinação de custo de frete, visto que é a partir dessa informação que outras variáveis, como o pedágio e o combustível, podem ser calculadas. 

De onde vêm os principais custos do frete? 

Frete peso

O frete peso é a determinação de cobrança a partir do peso real ou cubado. Se a carga ocupar um maior espaço, o valor de frete cubado será mais elevado, e é o que deve ser considerado no preço. 

Frete valor

Tratando-se de frete valor, o que determina o preço do transporte é o valor da carga, muito utilizado para mercadorias de alto valor, visto que há maior cuidado durante o gerenciamento de riscos. 

Generalidades

São custos relacionados com as necessidades específicas de cada mercadoria. Para entregas em locais de difícil acesso, por exemplo, podem ser cobradas taxas de dificuldade de entrega, que ressarcem o tempo a mais gasto com a operação. 

Abrangência

Relacionada a quais regiões a transportadora atende e às rotas e quilometragens entre destino e entrega a serem incluídas na tabela de frete. 

Impostos

A atividade de transporte também tem a incidência do ICMS. A alíquota deve variar de acordo com a localidade de destino, podendo chegar até 18%. 

Prazos

É a informação de quanto tempo uma entrega demora para ser feita, ou seja, o transit time, que é calculado desde a saída do material do estoque até a chegada do material no cliente. 

Quais são as outras taxas das tabelas de frete? 

Ad Valorem

É uma porcentagem que pode variar de acordo com a distância, localização e tipo de mercadoria, que incide sobre o valor da nota fiscal, com o objetivo de cobrança de valores relacionados à segurança da carga durante o transporte. 

Gris

Também relacionada a medidas que a transportadora toma para prevenção de roubos das mercadorias. Cobra-se um percentual de, no mínimo, 0,3% sobre o valor da nota fiscal. 

Taxa de Restrição ao Trânsito (TRT)

Algumas cidades apresentam restrições quanto à circulação de veículos em determinados períodos. Essa taxa é cobrada para ressarcir qualquer custo extra no caso da necessidade de entregas durante esses períodos. 

Taxa de dificuldade de entrega (TDE)

Cobra-se essa taxa quando o destino se encontra em um local de difícil acesso ou para cargas com maior complexidade para os embarques e desembarques. 

Taxa mínima

É um valor cobrado para cargas muito abaixo do peso ideal, principalmente quando o valor cubado também é baixo. Assim, as transportadoras podem estabelecer uma taxa mínima para os serviços prestados, a fim de não terem prejuízo. 

Pedágio

Valores cobrados pelo governo para a circulação dos veículos nas rodovias. As taxas variam de acordo com o percurso. 

A ANTT e a Política Nacional de Pisos Mínimos do Transporte Rodoviário

Os valores mínimos foram estabelecidos com o objetivo de deixar as negociações de fretes mais justas para os prestadores de serviços de transporte, sejam transportadoras ou motoristas autônomos.

O governo tomou como responsabilidade a aplicação e fiscalização da tabela de frete para que as pessoas e empresas que trabalham com essa atividade tivessem o mínimo de lucratividade em seu negócio, o que, muitas vezes, não acontecia. 

Por que a tecnologia TMS pode ajudar na gestão das tabelas de frete?

Um sistema TMS possibilita a criação das tabelas de acordo com os parâmetros desejados e a simplificação da gestão, visto que o cálculo se torna mais ágil, tendo os valores prontos e precisos em instantes, sem deixar nenhum custo de lado.

A tabela de frete pode ser um aliado do negócio, pois melhora a competitividade do setor de transportadoras e pode também ser uma ferramenta de auxílio na composição do preço com a maior precisão possível.

Quer saber mais? Aproveite e baixe este e-book sobre gerenciamento de transportadoras e potencialize seus conhecimentos sobre o assunto.